Resenha: O menino que desenhava monstros

“Jack Peter Keenan vive em um vilarejo disperso na costa do Maine com seus pais. É inverno, há tempestades de neve, e o mar congelante e a sombria floresta de pinheiros isolam a família de todos, com exceção de uns poucos amigos. O silêncio se torna ameaçador e ruídos inexplicáveis provam que os Keenan não estão sozinhos.” Esse mês tem blogagem coletiva do projeto Blogs Fantásticos e Onde Habitam, com o tema Livros, Séries ou Filmes. Para não encher o blog com um só assunto resolvi variar um pouco HAEUHEAUHEAU. A primeira resenha do blog será sobre um dos livros que eu AMEI o final da história e já quero adaptação para o cinema.

O livro contra a história de Jack Peter, um guri de 10 anos, que tem a síndrome de Asperger, cujo a mesma afeta a capacidade de se socializar. O problema só piorou quando alguns anos antes ele e seu amigo Nick se afogaram, Jack acabou ficando com medo de sair de casa e agora ele só sai para ir ao médico. A única companhia que o guri tem, além dos pais, é seu único amigo Nick que vai lá brincar com ele. Peter tem o hobbie de desenhar monstros e já afirmou várias vezes de que o que ele desenha é real. Ninguém acredita no menino, até que algumas bizarrices começam a acontecer.

Título: O Menino que Desenhava Monstros

Título Original: The Boy Who Drew Monsters

Autor(a): Keith Donohue

Editora: Darkside

Páginas: 256

Lançamento: 2016

Uma das coisas que mais amo dos livros da Darkside é o capricho, principalmente na capa. Como mostra na imagem acima, a capa e a contracapa são extremamente bem feitas, o livro é lindo. Além dos desenhos combinarem com a temática do livro, a capa tem uma textura áspera no título e nos dentes, quando você passa a mão parece realmente dentes. Perfeito para quem ama capa bonita, tipo eu AHUEAHUHEAUHE.

Muitas pessoas acharam a leitura arrastada, mas eu li o livro super rápido por conta da curiosidade pra saber o que estava acontecendo. O começo da história foca bastante em contar como é a vida da família com o filho que não sai de casa e isso pode cansar um pouco. Se você for ler e achar lento, calma que depois começa a acontecer umas coisas muito louca! Eu amei o final do livro por conter um plot twist MARAVILHOSO!

No livro o autor compara as famílias de Nick e Jack. Enquanto a de Nick é super feliz, com seu filho “perfeito” a de Jack é um pouco triste, em função do filho “problemático”. O menino vive falando que monstros existem e NINGUÉM ACREDITA NO COITADO, até que o pai de Jack começa a ver um homem estranho e a mãe ouvir vozes. As respostas vão vindo conforme a leitura, e o final é perfeito para você que gosta de plots twist. EU AINDA ESTOU CHOCADA COM O FINAL. Quando terminei de ler, sai contando pra todo mundo o que aconteceu, porque eu precisava conversar com alguém sobre.

Recomendo muito! Ele ganhou 5 estrelas e 1 coração, já que se tornou um dos livros que AMEI LER.

 

Espero que tenham gostado do post, deixe aqui nos comentários sua opinião sobre o livro! Vamos falar sobre esse final? AHEUHAEUHEAUH

Não esqueça de visitar as postagens das outras gurias e me seguir nas rede sociais <3

Women Rocker | Profano Feminino | Epílogo em Branco | Capricati

Fanpage: /viletoria | Meu perfil /viihlokka | Instagram: @viihlokka | Twitter: @viihlokka

Fotos de minha autoria

Comentários

comentários

17 anos, canceriana e gaúcha. Fundadora do blog Viletória e a louca que adora matemática, Netflix e jogos. Apaixonada por fotografia, cinema e música.

2 Comments

  • Ane Carol

    23 de abril de 2017 at 17:51

    Confesso que eu não leria esse livro por conta da capa. Achei ela meio assustadora. Mas lendo tua resenha o livro parece ser muito bom. Tenho um amigo que tem síndrome de Asperger, e essa parte da socialização é bem complicada mesmo. E que eu me lembre ainda não lia nada sobre a síndrome.

    Responder
  • Rubyane

    1 de maio de 2017 at 23:10

    Tenho vontade de ler esse livro desde que ele foi lançado. O título, a capa e a sinopse chamam bastante a atenção (pelo menos para mim). Acho que é uma leitura que eu iria gostar e sua resenha me deixou mais curiosa ainda.

    Responder

Deixe uma resposta